Hélio Smidt / Presidente Dutra / Marginal Tietê


Untitled-1

§788 · December 19, 2014 · Uncategorized · (No comments) · Tags: , ,




Obrigado Marcos Beccari. Obrigado 100.000 anónimos. Obrigado Brasil. Melhor, o Brasil agradece. Continuemos.




Essa toada, que marca as ruas de São Paulo nos dias que correm, merece reflexão. Esse refrão é muito mais certeiro e potente do que se possa imaginar. E esse poder consiste exatamente em espelhar o oposto que apregoa — acreditem, estar a partir montras ou a tacar fogo em lixeiras, ou estar a gritar, parado, SEM-VI-O-LÊN-CIA-!, vai dar exatamente no mesmo. Serei só eu, ou este pregão é de uma violência enorme? Eu oiço-o, e vejo-o (ver links mais abaixo), e dou comigo a pensar na violência desse som incessante, insistindo, num loop atrevido, em espetar um dedo numa ferida que ninguém parece querer ver. Essa lenga-lenga assusta (mesmo que não dêem conta imediata) certamente os ouvidos da classe média, das elites, dos políticos e, claro, dos PM. [Não esquecer nunca que os PM têm ouvidos.] Porque esse grito, mais, essa exigência, desmascara, ele coloca em cima da mesa (que é agora a rua) a evidência do(s) descontentamento(s) e, mais do que tudo, das posições tomadas, dos lados assumidos. E mostra, sobretudo, essa coragem que é precisa para proclamar publicamente que não se sabe bem o que se quer (porque não se sabe ainda, pois não?), que nem sequer se sabe lá muito bem o que é um lado. É preciso muita coragem para tal, para sair na rua e gritar a violenta evidência da falência generalizada. Mesmo que com a certeza de a resposta ser a violência de um bastão. Aos que estão nas ruas desse país, o meu reconhecimento.