Neste preciso momento não tive dúvidas. Até este momento, estava temendo o pior. Seria a saída mais inglória possível – como poderia alguma vez esta Holanda cair num gramado pisado por Pedro Proença?! (hás-de ser escroto até morrer…) — mas este remate de Wesley Sneijder levantou o coração laranja. Levantou o mundo. Aqui não tive dúvidas. E tenho testemunhas que afirmei que não ia para prolongamento, Klaas-Jan Huntelaar resolveria nos minutos que restavam. Assim foi.